terça-feira, 30 de outubro de 2012

Cinquenta Tons de Cinza (E. L. James)


Aaaah, não poderia faltar. A tão falada e difundida história de Anastasia e Christian.

Primeiramente devo dizer, para os que ainda não sabem, que a história foi escrita por uma fã ardente da série Crepúsculo. Ou seja, se você leu Crepúsculo, achou uma porcaria, mas terminou de ler mesmo assim por curiosidade, o mesmo acontecerá neste livro.

O livro se trata da história de Anastasia, recém formada na faculdade, que entrevista um cara poderoso, Christian, e desde então começam a se interessar um pelo outro. O único porém é que Anastasia, tão pura e ingênua, quer um romance, enquanto Christian, autoritário e extremamente poderoso, quer um relacionamento de dominação e subordinação – dominação da parte dele, obviamente, sem vínculos amorosos. Porém, ambos se envolvem de tal forma que se perdem até no que acham que querem realmente.

Mas não espere um livro bem escrito. Mesmo. Descobri que não foi mal traduzido, ele foi mal escrito mesmo – obviamente porque ela tentou seguir o “estilo literário” de Stephanie Meyer. Eu tive a pachorra de contar quantas vezes a autora utilizou do termo “franziu a testa” ou o seu sinônimo “franziu o cenho”. Foram 51 vezes até a página 320. Parecia que ela tinha acabado de conhecer a expressão... (imagino os fãs da série já brigando “Se acha ruim, escreve melhor!”. Haters gonna hate.)

Da mesma forma, este livro ficou parecidíssimo com o Crepúsculo, em minha opinião. Há o homem maravilhoso, perfeito, inatingível, rico e poderoso, só que não brilha no sol. Há a moça ingênua, doce, virgem, fofa e estabanada. Há o moço bom que gosta da moça e que formariam um casal maravilhoso, se não fosse o olhar da moça ser totalmente fraternal por ele. Alguma semelhança? O que mais me deixou pasma foi uma frase dita por Christian (o dominador), algo como “Afaste-se de mim, você não sabe com quem está lidando, não sou homem para você, posso te machucar”. Minha nossa, Edward diz isso mil vezes também.

Enfim. Tirando os motivos que tive vontade de tacar o livro pela janela, a história por si só não é a mais criativa, mas o elemento “sexo” faz com que você se distraia destes pequenos probleminhas e se delicie com cada parágrafo. Não é de se estranhar que as mulheres são as principais adoradoras desta série. O sexo simplesmente é visto do ponto de vista feminino, descrevendo todas as sensações, desde a mão na nuca, até aquilo naquilo. É o tipo de livro que te prende tanto que se você estiver lendo no ônibus, vai perder o ponto.

Já iniciei o segundo livro da série (50 Tons Mais Escuros) e em breve coloco a resenha para vocês aqui!

Dica: seja menos chato do que eu sou. Aproveite a leitura, não repare nas mil expressões repetitivas (“cerrou os dentes” ou “travou as mandíbulas” também estão presentes em profusão), e tenha uma leitura muito feliz. MUITO, se é que me entendem. ;)
 
Editora: Intrínseca
Autor: E. L. James
Número de páginas: 455
Recomendação:
 
 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...