sábado, 30 de outubro de 2010

Leite Derramado (Chico Buarque)

“Se com a idade a gente dá para repetir casos antigos, palavra por palavra, não é por cansaço da alma, é por esmero. É para si próprio que um velho repete sempre a mesma história, como se assim tirasse cópias dela, para a hipótese de a história se extraviar.” (Frase dita por Eulálio no monólogo “Leite Derramado” de Chico Buarque)

Essa é a frase chave para descobrir se realmente quer embarcar nesta leitura. Imagine se um velhote desconhecido, com 100 anos de idade, virasse a você e começasse a despejar um monte de histórias da sua vida... sem tempos exatos, cheios de preconceitos, petulância, contradições e amores, vividos numa sociedade carioca decadente. O engraçado é que durante a leitura você começa a julgá-lo... No decorrer do texto é possível fazer leituras nas entrelinhas, pois o personagem deixa dúvidas e suspenses em sua fala. É preciso ter paciência e querer escutar o que o Sr. Eulálio tem a dizer desde os ancestrais portugueses até os tempos atuais... passando por dois séculos... entre idas e vindas. Se você não está “no clima” é melhor nem começar a ler.

Não é o meu tipo de leitura preferido (não sou fã de monólogos), mas achei interessante para uma análise social. É possível tirar várias características de uma sociedade carregada de aparências e machismos. 



1 comentários:

Luan Queiroz disse...

o chico é um gênio!apesar de jovem, adoro as músicas e livros dele!
ótima resenha!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...