sábado, 13 de novembro de 2010

Feliz Ano Velho (Marcelo Rubens Paiva)

A resenha de hoje é de um livro que já li há algum tempo. Trata-se do “Feliz Ano Velho” de Marcelo Rubens Paiva e conta a história do acidente que o deixou tetraplégico no auge dos seus 20 anos de idade. O livro foi lançado em 1982, quando eu tinha 3 anos de idade, e foi best-seller na época. Quem me indicou esta leitura foi meu pai no finalzinho dos anos 90. Excelente indicação! Tanto que o reli só para escrever este post.
Apesar de tratar-se de uma tragédia, o autor relata os fatos com extremo bom humor. A narrativa começa com o dia do acidente. Ele, bêbado, curtindo um dia com seus amigos num lago resolve dar um salto estilo “tio Patinhas” em meio metro de água. Quem diria que um ato mal pensado mudaria em segundos uma vida inteira? Daí para frente ele discorre seus primeiros dias no hospital e sua adaptação à nova vida. Conta ainda lembranças de sua infância e juventude com relatos de aventuras, amores, amizade e até o dia em que os militares entraram em sua casa e levaram seu pai.
Através da leitura temos a percepção das dificuldades de um deficiente físico e sua inserção na sociedade.
Aos pudicos, gostaria de avisar que o livro tem bastante palavrão e até detalhes de uma experiência sexual. É de uma linguagem simples, jovem e pura. Eu, particularmente adoro pessoas com senso de humor elevado. Tudo fica mais leve. É preciso muita inteligência para fazer analogias e tiradas sagazes.

“FELIZ ANO VELHO”
Editora: Objetiva
Autor: MARCELO RUBENS PAIVA
Número de páginas: 272

Sobre o Autor

Além de escritor, Marcelo é dramaturgo e jornalista.

Nasceu em São Paulo no ano de 1959, onde estudou pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Fez mestrado de Teoria Literária da Unicamp e o King Fellow Program da Universidade de Stanford, Califórnia. Depois de “Feliz Ano Velho”, publicou 6 romances:

“Blecaute” (1986),
“Uabrari” (1990),
“Bala na Agulha” (1992),
“Não És Tu, Brasil” (1996),
“Malu de Bicicleta” (2004)
“A Segunda Vez que Te Conheci” (2008).

Há crônicas e contos reunidos nos livros “As Fêmeas” (1994) e “O Homem Que Conhecia as Mulheres” (2006). Como dramaturgo, escreveu: “525 Linhas” (1989); “O Predador Entra na Sala” (1997); “Da Boca pra Fora – E Aí, Comeu?” (1999); “Mais-Que-Imperfeito” (2000); “As Mentiras que os Homens Contam” (2001); “Closet Show” (2001) e “No Retrovisor” (2002).

Atua como colunista do Caderno 2 do jornal “O Estado de S.Paulo” e possui o blog Pequenas Neuroses Contemporâneas. “Feliz Ano Velho” foi transformado em filme estrelado por Marcos Breda e Malu Mader.

 

6 comentários:

MAQUIAGEM EH TUDO !!! disse...

Meninaaaaa, jah li "Feliz ano velho", melhor, tentei, mas naum terminei. Achei-o mt enfadonho e repetitivo... acabei naum terminando por isso. Mas o livro eh mt boooooom.
Em breve, 1° Blog encontro carioca.
Obrigada pela força tah... uma bjk no seu coração, Vanessa Ramos

aline naomi disse...

Li esse livro há mais de dez anos e não lembro de tudo. Lembro que ele contava dos amores e de como foi o acidente. Assim que possível, vou reler :)

Nilce disse...

Esse livro é espetacular. Lembro-me que o li pela primeira vez no lançamento, depois mais umas dez vezes.
Excelente indicação.
Ótimo domingo e feriado.

Bjs no coração!

Nilce

MAQUIAGEM EH TUDO !!! disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
.Niii. disse...

Esse livro está entre os livros que eu gostaria de ler. O título sempre me chamou atenção!
Bjs

Lu disse...

oi Flafli.

A história parece ser bem emocionante, só não curto histórias tristes. =/
Sou chorona, então prefiro evitar.

Mas o livro me chamou a atenção, talvez leia ainda para matara a curiosidade. =)

beijos

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...