quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Trilogia Sprawl - Neuromancer - vol. 1 (William Gibson)

Acho que se eu continuar nessa toada a Flafli vai criar uma classificação "com cheiro de naftalina", só pra mim.

Minha segunda resenha é sobre o livro Neuromancer, que não está em domínio público ainda porque é "só" de 1983, mas ainda encontra-se por ae em lojas e sebos...

Para os jogadores de RPG, é leitura obrigatória, pois teve grande influência na criação do sistema Shadowrun (se você não conhece, deveria!).

Primeiro livro da trilogia do Sprawl (Sprawl Trilogy) - todos três ganhadores de diversos prêmios de ficção - é com ele que William Gibson introduz o cyberpunk como subgênero da ficção científica ao mundo, e na minha opinião fez um ótimo trabalho.

Várias iniciativas de adaptações para o cinema foram adiadas e/ou canceladas. A mais recente está por conta da Seven Arts Entrertainment (http://www.7artspictures.com/films/view/9/neuromancer), mas filmes como "The Matrix" utilizam seus conceitos abertamente, demonstrando o seu potencial e definindo um padrão bem alto a corresponder...

Em uma realidade onde a rede de dados (internet) pode ser acessada como um universo físico (Matrix), os cyber-cowboys são aqueles que conseguem acessar as informações que usuários leigos não conseguem. São os conhecidos Hackers. Essa é a profissão do nosso anti-herói Case, ou melhor, era.

Depois de ser apanhado tentando roubar de seus "patrões", Case tem seu sistema nervoso danificado e impossibilitado de acessar à Matrix. Dependente químico e totalmente desesperado, procura pela cura nas clínicas ilegais quando é salvo por Molly, mercenária contratada por um ex-militar (Armitage), prometendo a cura em troca de seus serviços.

A partir desse momento, a dupla começa a fazer alguns serviços para Armitage ao mesmo tempo em que tenta se armar contra o mesmo. Invasões de empresas no mundo real, "pesquisas" na matrix, e em meio a tudo isso a dupla encontra finalmente todo o passado de Armitage, ou Corto.

O grupo aumenta e depois identifica-se um novo personagem, Wintermute - empregador de Armitage - engrossando ainda mais a trama por se tratar de uma Inteligência Artificial com objetivos desconhecidos.

Finalmente o grupo precisa embarcar em uma estação espacial privada, residência da família Tessier-Ashpool ("coincidentemente" a idealizadora de Wintermute) onde alguns integrantes são mantidos em criogenia, alternando o membro (ou clone) acordado e assim alternando o controle da sua dinastia.

É nessa estação que Wintermute revela sua verdadeira intenção e onde o grupo deve coordenar seus esforços para sobreviver, manter sua sanidade e ainda atingir o seu objetivo.

O livro termina com algumas perguntas no ar porém não deixa a impressão de que uma continuação é necessária.

Editora: Editora Aleph
Autor: WILLIAM GIBSON
Número de páginas: 312
Recomendação: Ótimo



2 comentários:

@whosthanny disse...

Uau, parece ser bem interessante! Eu conheço a capa desse livro de algum lugar, mas não tinha lido nenhuma resenha ainda. Gostei, vou adicionar no skoob :D


Beijos,
whosthanny.com

Vanessa disse...

Hey (:
Bacana a resenha. Parece ser bem interessante o livro, não conhecia. Talvez porque é só de 1983 UAHSAUHSAUS :D

Beijos, Vanessa.
This Adorable Thing

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...