terça-feira, 13 de março de 2012

Jogos Vorazes (Suzanne Collins)

Estava morrendo de medo de não conseguir ler este livro antes do lançamento do filme dia 23 de março. Ufa! Deu tempo! Para quem gosta de romances com mocinhas de temperamento forte, bom coração e guerreiras destemidas, essa história não decepcionará.

Saindo da era vampiresca e mitológica que se instalou desde o “boom” de Crepúsculo, vivemos agora a “Dominação Distópica” (conforme aprendi lendo alguns dos meus blogueiros prefereidos, dentre eles, o Blog EP do meu amigo Joe). É na verdade algo antiutopia. Em resumo, trata-se de histórias com governos que possuem regimes totalitários. Como que acontece em Jogos Vorazes, onde o cenário é de um novo país chamado Panem (nossa ex-América do Norte). A sociedade foi dividida em 13 distritos (extremamente pobres), que por sua vez são dominados pela Capital. Certa vez houve uma rebelião destes distritos na tentativa de se libertar das “mãos de ferro” de seus governantes, mas foi uma catástrofe uma vez que a tecnologia e modernidade estavam a favor do inimigo. Como punição o distrito 13 foi exterminado (para servir de exemplo aos demais), e foram criados os “Jogos Vorazes” para que ninguém se esqueça de quem manda em Panem.
Os Jogos são realizados todos os anos e transmitidos ao vivo a todo país. Cada distrito disponibiliza através de sorteio (ou inscrição voluntária) um rapaz e uma garota entre 12 e 18 anos. As inscrições são cumulativas, o que faz com que um jovem de 18 anos tenha muito mais probabilidade de ser sorteado que um de 12 anos. Além disso, é possível inscrever-se mais de uma vez em troca de dinheiro (tésseras) para comprar comida, afinal, em meio a tanta pobreza é comum alguém morrer de fome. Ah! Sim... os jogos consistem em 24 jovens digladiando-se em um cenário chamado Arena, até sobrar apenas um. Sim, é isso mesmo! Eles são obrigados a matar uns aos outros até restar um único sobrevivente. O vencedor não precisará se preocupar com dinheiro ou com a fome pelo resto de sua vida.
E é assim que começa a nossa história. Katniss é uma garota de 16 anos que é responsável em sustentar sua irmã e sua mãe após a morte de seu pai numa explosão nas minas de carvão. Ela e seu fiel amigo Gale ultrapassam os limites do Distrito 12 todos os dias para caçar e colher frutos. Este ano sua irmãzinha Prim será inscrita pela primeira vez e adivinhem o que acontece?! Pois é... Lei de Murphy! Prim é sorteada! E nossa heroína não pode deixar isso acontecer, claro! E com isso se oferece como voluntária no lugar de sua irmãzinha. Seu companheiro sorteado e fadado ao destino cruel é Peeta, o filho do padeiro. Uma estranha ligação existe entre eles (além da provável morte iminente), mas é preciso ler o livro ou assistir ao filme para entender melhor... Só posso garantir que Katniss no decorrer dos preparativos não consegue definir seus sentimentos por Peeta (o garoto que uma vez salvou sua vida quando estava prestes a morrer de fome) ou por Gale (seu companheiro de caça e sobrevivência por tantos anos). Os dias de jogos são emocionantes, sangrentos e nos fazem ler sem pausas. Eu só parei quando terminei o livro. Estou com grandes expectativas com relação ao filme.
Recomendo esta leitura que nos faz refletir bastante sobre liberdade, solidariedade e crueldade. Sim, crueldade. Afinal, é possível assistir pela TV como a miséria e a pobreza matam todos os dias no nosso mundo real. Ao ler o livro achamos que é preciso muita frieza para ver jovens obrigados a matar uns ao s outros e esquecemos que vemos isso todos os dias de uma forma talvez mais amena... afinal, não é problema nosso, certo?! Não quero dar uma de falsa moralista, só escrevo isso porque agora que sou mãe penso muito no quanto sou abençoada de poder dar boas condições de sobrevivência ao meu filho.  
Vejam o trailler do filme em: http://youtu.be/zhW-KWCw92c

Editora: Rocco
Autor: SUZANNE COLLINS
Número de páginas: 397
Recomendação: Ótimo


4 comentários:

Joe Silva disse...

Esse foi um dos melhores livros que li ano passado... Sou um grande fã de distopia e essa história criada pela linda Suzane Collins ficou o máximo. Já tive a oportunidade de ler toda a trilogia e esse primeiro é o melhor de todos...

Estou super ansioso para ver o filme e espero que não me decepcione com a adaptação....

Muito boa a resenha e achei lindo ser mencionado ali em cima =P...

HUGS =D!!!
Joe Silva - Bloge EP
http://escrevendoaospouquinhos.blogspot.com

Paulo Serino disse...

Adorei o assunto tratado nessa obra! Trata-se de pura ficção baseada na cruel realidade. Vejo essa história como uma paráfrase da história da humanidade desde sempre: Na idade média, quando alguém representava uma ameaça para o poder (no caso da igreja católica) era só acusar o indivíduo de bruxaria que ele seria devidamente punido na fogueira. No mundo moderno, se alguém apresenta algum empecilho para a política norte-americana é só acusar a nação de estar construindo armas de destruição em massa, para justificar a guerra declarada. Como podemos ver, a história da humanidade é sempre a mesma, só muda a forma que é contada.

Flá amei a resenha !!!!
Estou ansioso para ler o livro e acompanhar o filme tb !!!!

Bjossss

=)

Luara Cardoso disse...

Eu estou doida para ler esse livro. Ainda não tive oportunidade, mas quem sabe em breve, não é mesmo?

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Vanessa disse...

Olá (:
Eu não vou assistir o filme porque ainda não li o livro q UAHSUAHSU Tudo bem, eu assisto depois, não tenho problemas com isso. De todo jeito, to louca pra ler, todo mundo fala super bem desse livro. Espero gostar também. Boa resenha.

Beijos, Vanessa.
This Adorable Thing

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...